Sociedade Brasileira de Cardiologia e Fiesp promoveram campanha “Setembro do Coração”

As doenças cardiovasculares já vitimaram 232 mil pessoas no Brasil, entre 1º de janeiro e 1º de setembro deste ano, segundo o Cardiômetro (www.cardiometro.com.br), idealizado pela Sociedade Brasileira de Cardiologia. As doenças do coração causam o dobro de mortes de todos os tipos de câncer juntos, mais do que duas vezes todos os acidentes e a violência e 6,5 vezes mais do que todas as infecções, incluindo a AIDS.

“É uma epidemia e precisamos vencer essa guerra com mais cuidados ao coração”, alerta o presidente da SBC, Marcus Bolívar Malachias. Para o cardiologista precisamos reverter esse quadro para o Brasil não se tornar, nas próximas décadas, o líder mundial em mortes por doenças cardiovasculares. “A maioria dessas mortes podem ser evitadas e ajudaria muito se as pessoas praticassem atividades física, tivessem uma alimentação mais adequada, não fumassem e tomassem os medicamentos prescritos pelo médico”, resume o presidente da SBC.

O Setembro do Coração, que faz parte do Movidos pelo Coração (maior movimento nacional de combate às doenças cardiovasculares), ressaltou com ações em mídias sociais e em locais públicos, os principais fatores de risco para o coração: hipertensão arterial, colesterol elevado, diabetes, tabagismo, obesidade, ingestão excessiva de álcool, estresse, sedentarismo, além da idade, do histórico familiar e da etnia. “Eles são conhecidos há anos, porém precisamos disseminá-los mais”, completa o diretor de Promoção da Saúde Cardiovascular da SBC, Weimar Sebba Barroso.

Segundo o presidente das Federação da Indústria do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, esta ação mostra mais uma vez a importância da promoção da saúde e da prevenção de doenças, uma bandeira muito levantada pela entidade. “A intenção desta campanha é facilitar o acesso das pessoas que circulam na Paulista a um exame que, realizado anualmente, poderá detectar precocemente doenças do coração, aumentando, assim, as chances de cura”.

Em 2015, as doenças do coração vitimaram 346.896 pessoas no Brasil e, segundo estimativas do Cardiômetro da SBC, as mortes deverão aumentar em cerca de 4% neste ano. “Precisamos diminuir o ritmo do Cardiômetro e somente com a conscientização e o engajamento de todos é que iremos chegar lá”, finaliza no presidente da SBC.

No Dia Mundial do Coração, lembrado na última quinta-feira (29), aconteceram atividades em várias capitais com distribuição de folhetos informativos da campanha, exames de colesterol e glicemia e medição de pressão arterial.

Confira o vídeo da campanha: http://setembrodocoracao.com.br/video-influenciadores

Veja também