Organização da Feira MEDICA Brasil visa atender às demandas de todo o setor

Feira será realizada pela primeira vez no país entre 5 e 8 de maio de 2020; Brasil entra para o calendário do maior evento mundial da saúde

Representante da Messe Düsseldorf no Brasil por meio da Emme, Malu Sevieri fala sobre a organização da feira, as expectativas para a primeira edição do evento e os objetivos da inclusão do Brasil no calendário da Feira MEDICA. Confira a entrevista completa com a diretora.

SINAEMO em Movimento – Com toda sua expertise na MEDICA de Düsseldorf, qual sua expectativa para a Feira MEDICA Brasil?

Malu Sevieri – A Feira MEDICA Brasil carrega, como slogan, aquilo que mais acreditamos dentro da Messe Düsseldorf: uma feira feita por profissionais, para profissionais. Com 48 anos de experiência nesse setor, a Messe Düsseldorf agregará muito valor e reconhecimento à edição brasileira.

Uma das inovações mais interessantes que utilizamos em todas as feiras é uma ferramenta de matchmaking que permite que visitantes e compradores possam agendar previamente reuniões com os expositores em seus estantes. Isso incentiva o contato e promove o início de novas relações comerciais.

SINAEMO em Movimento – Em termos de estrutura do pavilhão, a edição brasileira será espelhada na edição alemã?

Malu Sevieri – Assim como na MEDICA de Düsseldorf teremos uma arena aberta onde as empresas e as associações poderão debater temas relevantes para a indústria de saúde. Nessa área, os assuntos serão validados por um board criado pela organização do evento e que reunirá instituições de diferentes portes. Consideramos de extrema valia ouvir a necessidade dos grandes players, mas também das empresas menores que atuam firmemente neste competitivo mercado. Afinal, todos estão em busca de soluções para suas demandas.

Assim como a grade científica da Feira MEDICA Brasil, a troca de experiências entre todos os participantes também é muito importante para o desenvolvimento do setor. Por isso promovemos uma plataforma para que todos possam trocar conhecimentos sobre ideias bem-sucedidas e como viabilizar projetos inovadores.

SINAEMO em Movimento – O que fez, na sua opinião, a Feira MEDICA se transformar na maior feira do setor no mundo? Qual é o grande diferencial do evento?

Malu Sevieri – O grande ponto positivo está na internacionalidade da feira não somente do ponto de vista dos expositores, mas também dos visitantes. A MEDICA é o principal evento mundial, o local onde todos se encontram. Uma feira que já faz parte do calendário anual das empresas. Assim, queremos transformar a Feira MEDICA Brasil em um hub para a América do Sul onde as empresas apresentarão soluções e teremos visitantes de todos os países, com especial concentração no Chile, Argentina, Uruguai e Paraguai.

SINAEMO em Movimento – Como representante da Messe Düsseldorf no Brasil, sendo a responsável pela comercialização dos espaços, como está sendo a receptividade do público com a novidade do evento?

Malu Sevieri – Todos que abordamos aceitam o projeto de forma muito positiva. O interessante em construir uma feira nova está em escutar o que as empresas e as instituições têm para nos falar. Somos muito abertos a ideias e trabalhamos todos os feedbacks que recebemos para que possamos nos destacar neste mercado.

O setor de saúde no Brasil conta com vários eventos com focos distintos. Temos, como meta, transformar a Feira MEDICA Brasil em um ponto de discussão sobre o futuro do segmento, desenvolvendo a indústria e investindo em melhorias significativas para o mercado. O evento foi pensado para abraçar todo o setor de saúde e não pretendemos trabalhar com um formato engessado. Estamos aprendendo junto com esses players qual o melhor formato para atender às necessidades de todos.

SINAEMO em Movimento – E como você enxerga a boa relação entre a Messe Düsseldorf e o setor de saúde no Brasil?

Malu Sevieri – A Messe Düsseldorf já é muito ativa no mercado de saúde brasileiro organizando pavilhões internacionais há mais de 20 anos, o que trouxe conhecimento sobre as necessidades deste mercado e, também, sobre as dificuldades. Do ponto de vista internacional, a receptividade da Feira MEDICA Brasil tem sido muito boa e a parceria com a ABIMO e o SINAEMO é fundamental para garantirmos a melhor implementação do projeto.

 

Veja também