Indústrias brasileiras e norte-americanas do setor se unem para trocar experiências

A ABIMO e a Biomedical Engineering Alliance & Consortium (Beacon), do estado norte-americano de Connecticut, firmaram um acordo de cooperação bilateral para incentivar a troca de experiências e o desenvolvimento entre as regiões. O documento final do tratado foi assinado durante a FIME (Florida International Medical Equipment Trade), mais importante evento voltado ao setor médico-hospitalar dos Estados Unidos, que acontece em Miami, desde a última terça-feira (2).  A primeira ação concreta, resultante da aproximação entre as duas instituições, aconteceu no último sábado (30), por meio de uma missão empresarial a comitiva participou de uma intensa agenda de encontros de negócios, debates e visitas técnicas em Hartford, Connecticut.

“A missão foi muito proveitosa, pois demos o primeiro passo para aproximação com Connecticut e com certeza daremos continuidade por meio de outras ações e projetos”, afirmou a gerente de marketing e exportação da ABIMO, Clara Porto, que ainda acrescentou: “A ideia é que nós possamos aproveitar essa parceria justamente para o desenvolvimento de produtos, pesquisa, inovação e até mesmo, as próprias oportunidades para instalação de empresas em Connecticut, ações que resultarão no posicionamento das companhias brasileiras nos EUA”.

A Corcam Tecnologia, companhia que desenvolve soluções tecnológicas para monitorar a saúde humana, foi uma das empresas que participaram da missão. “Fizemos vários contatos e descobrimos potenciais para nos posicionarmos em Connecticut. Foi muito interessante ter participado e fiquei muito satisfeito com os resultados”, disse Carlos Melo, vice-presidente de novos negócios e relações com o mercado da Corcam.

Os Estados Unidos são o maior mercado de equipamentos médicos e hospitalares do mundo e a região nordeste do país concentra quase um terço das 6,5 mil empresas do setor, em especial no estado de Connecticut, reconhecido polo da atividade, com mais de 800 empresas. Cerca de 15% da população do estado têm graduação avançada nesse ramo de atuação e aproximadamente 15% da produção total de aparatos médicos e insumos se concentra no corredor entre as áreas metropolitanas de New Haven e Hartford, um segmento que emprega mais de 1,2 milhão de pessoas.

“Enxergamos muitas possibilidades de trocas de experiências de nossas empresas e institutos de pesquisa com os brasileiros. Há muito para ser compartilhado e um campo enorme que podemos explorar juntos. O Brasil é um país inovador e há similaridades com Connecticut. Nós amamos inovação, o aperfeiçoamento e o desenvolvimento de ideias que podemos levar ao mercado”, confirmou o vice-presidente de Business Recruitment do Connecticut Economic Resource Center (CERC), Jason Giulietti. Ele esteve no Brasil em maio para discutir a parceria com a ABIMO, conhecer companhias brasileiras e participar da Feira Hospitalar.

Veja também