Fiesp lança estudo inédito sobre o impacto do mercado ilícito na indústria paulista

O estudo faz parte do Observatório de Mercados Ilícitos (OMI), iniciativa do Departamento de Segurança (Deseg), da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), que será apresentado nesta sexta-feira (16), às 8h30, na sede da entidade.

No levantamento são apontados os efeitos nocivos gerados pelo mercado ilícito (contrabando, pirataria, roubo de cargas etc.) em São Paulo, que só em 2015 movimentou mais de R$ 13 bilhões, nos setores de alimentos, automóveis, brinquedos, eletrônicos, higiene e perfumaria, medicamentos, químicos, tabaco e vestuário.

De acordo com o diretor do Deseg, Ricardo Lerner, pela primeira vez a indústria paulista terá um raio-x da alta lucratividade dos mercados ilícitos e do impacto direto para as empresas, como perdas de renda, vagas de emprego, impostos e competitividade. “O mercado ilícito cresce a uma taxa anual de 18%, desde 2010, enquanto a atividade econômica legal está em retração”, ressaltou.

Observatório

O OMI tem o objetivo de produzir informações sobres os impactos da criminalidade no setor produtivo e na sociedade paulista, decorrentes da incidência e expansão dos mercados ilícitos transnacionais.

A partir dos dados será possível formar agenda positiva, com o subsídio de informações técnicas e contribuição de empresários, associações, acadêmicos, governantes, policiais, juristas e sociedade organizada, para propor e atuar na prevenção e combate ao problema.

Lançamento do Observatório de Mercados Ilícitos (OMI)

Data: sexta-feira (16/9)
Horário: das 8h30 às 18h
Local: sede da Fiesp, Avenida Paulista 1313

Clique aqui e confira a programação preliminar

Clique aqui e inscreva-se

Veja também