Evento discute economia na América Latina e financiamento para exportação

Na manhã do dia 3 de março, a ABIMO promoveu, em parceria com a Coface, empresa especializada em seguro de crédito, e com o Banco do Brasil, o workshop Financiamento PROEX e Panorama Geral da Economia Brasileira e LATAM.

A gerente de exportação e marketing da ABIMO, Clara Porto, abriu o evento falando da missão da ABIMO, por meio do projeto Brazilian Health Devices, de proporcionar aos associados o acesso a novas informações para empresas que querem exportar.

“O cenário econômico do Brasil é crítico, e a exportação tem sido uma válvula de escape para as empresas, por isso temos que voltar nossos olhos para o mercado internacional, aproveitando as condições econômicas que nos proporcionam colocar preços mais competitivos para o mercado internacional”, disse.

O evento discutiu o panorama da economia brasileira, destacando a conjuntura atual e os principais números, a posição competitiva do Brasil e as perspectivas econômicas para 2016, apresentadas pela economista-chefe da Coface, Patrícia Krause.

Segundo ela, a durante muito tempo a América Latina apresentou crescimento, puxado pelas commodities, e com o fim desse ciclo de alto preço das commodities, o fortalecimento do dólar e a preocupação com o crescimento do mercado chinês, ocorre agora uma desaceleração e forte depreciação cambial.

“O Brasil representa 40% do PIB da região e os nossos números impactam muito”, comentou.

Dentre os dados apresentados, Patrícia destacou os números da indústria, que, segundo ela, é o setor mais afetado pela inadimplência. “O desemprego aumentou muito, de modo geral. Quando comparamos o dado mensal da indústria, vemos que ela vem caindo 22 meses consecutivos. Ao olhar essas quedas, não vemos nenhuma melhora no ritmo de queda.”

Sobre a balança comercial, Patrícia disse que se espera uma melhora, destacando que em fevereiro, após 17 meses caindo, as exportações subiram 4,6%, com melhora nos manufaturados. “É muito cedo para dizer que é uma tendência, mas esperamos que de fato ocorra algum tipo de melhora este ano.”

Em seguida, o gerente de negócios internacionais do Banco do Brasil, Rui Lapa, falou sobre as linhas de crédito para exportações com foco em ACC (Adiantamento Sobre Contrato de Câmbio), ACE (Adiantamento Sobre Cambiais Entregues), o Proger Exportação e o Proex (Programa de Financiamento às Exportações).

“Além das soluções de crédito para a exportação, o banco oferece consultoria em negócios internacionais”, explicou.

A Consultoria consiste em prestar serviços diferenciados (Resolução Bacen 3.919/10, art.5º VII), objetivando identificar oportunidades e alternativas de negócios para empresas que atuam ou apresentem potencial para atuar com câmbio e no comércio internacional, contribuindo para o sucesso dessas empresas através de suporte, orientação e apoio. A consultoria pode gerar relatórios gerenciais de acompanhamento, relatórios com resultados de análise e alternativas ou mesmo relatórios informativos e de orientação, sempre de acordo com o solicitado pelo cliente. A aquisição é espontânea pelo cliente do Banco do Brasil. Com a apresentação de uma demanda por parte do cliente, após a avaliação o Banco apresenta uma proposta de solução para a demanda, contemplando a discriminação dos serviços a serem realizados, bem como a forma de execução, a forma de pagamento e os respectivos valores. Depois do aceite da proposta e da assinatura do contrato por ambas as partes, o trabalho tem início.

Veja também