Empresas do BHD participam de workshop sobre Arábia Saudita

Empresas associadas à ABIMO, e que fazem parte do projeto Brazilian Health Devices, executado pela entidade em parceria com a Apex-Brasil (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos), tiveram ontem (22) oportunidade de participar do workshop sobre a Arábia Saudita como mercado-alvo. A ação serviu como preparação para a missão comercial que o BHD fará ao país no início do ano que vem.

O evento, organizado em parceria com a Câmara de Comércio Árabe Brasileira, teve como palestrante o Coordenador de Inteligência de Mercado da Câmara de Comércio Árabe-Brasileira, João Paulo Paixão.

Em sua apresentação, Paixão trouxe dados gerais da Arábia Saudita, país que vem apresentando crescimento em seu PIB (Produto Interno Bruto), e que apresenta, segundo ele, um crescimento importante em sua economia. “Houve uma desaceleração desde a queda dos preços do petróleo, e esse fato tem feito com que o país comece a investir em outras indústrias”, explicou.

OPORTUNIDADES DE NEGÓCIOS

Em relação ao setor representado pela ABIMO, Paixão afirma que há um gasto crescente nos últimos anos. A despesa total em saúde (somando-se pública e privada) correspondeu em 2013 a 4,8% do PIB, ou US$ 35,7 bilhões. “Projeções indicam aumento de, em média, 6,2% ao ano entre 2014 e 2018, chegando a um valor estimado de US$ 48,3 bilhões”, disse.

A Arábia Saudita conta com quase 68 mil leitos, distribuídos em 312 hospitais públicos e 141 hospitais privados. As clínicas chegam a mais de 4,6 mil.

A maior demanda do país concentra-se no setor de materiais de consumo, seguidos por laboratórios, equipamentos médicos, e radiologia. Desde 2013, o setor de implantes superou o de artigos odontológicos nos números de importação do país.

“Existe uma demanda não atendida pela indústria brasileira na área de laboratórios”, explicou Paixão. “Exportamos para o país cerca de US$ 200 mil desses artigos, enquanto a demanda é de mais de 1,5 milhões. Material de consumo e equipamentos médicos são os itens mais enviados do Brasil para a Arábia Saudita”, completou.

Além de conhecer os dados de mercado, os associados presentes ao evento puderam tirar algumas dúvidas sobre a cultura e a regulação do país.

CLIQUE AQUI E ACESSE A APRESENTAÇÃO

Veja também