Conselho Nacional de Saúde prepara Dia em Defesa do SUS

Com o propósito de reunir o setor da saúde em prol da democracia e a favor do SUS (Sistema Único de Saúde), o CNS (Conselho Nacional de Saúde) lançará no próximo dia 7 de abril, Dia Mundial da Saúde, o Dia Nacional em Defesa da Democracia.

De acordo com o presidente do CNS, Ronald Ferreira, em tempos de ataques ao Estado Democrático de Direito, essa será a data para a saúde mostrar, mais uma vez, sua capacidade de contribuir para o avanço da democracia e das relações sociais no Brasil. “A saúde unifica os setores que têm como referência a solidariedade e cooperação com o objetivo de que todos e todas possam viver mais e melhor”, diz.

Em Brasília, o CNS convida o ministro da Saúde, secretários do ministério e servidores para dar um abraço simbólico na sede do órgão, na Esplanada dos Ministérios. A ideia é que entidades, instituições e organizações que defendem o direito à saúde, em especial os Conselhos Estaduais e Municipais de Saúde, ocupem e abracem, em cada cidade brasileira, um símbolo da presença do SUS. Para Paulo Henrique Fraccaro, superintendente da ABIMO, a iniciativa é louvável: “O CNS pode contar com o apoio da ABIMO nessa iniciativa, pois devemos lutar incansavelmente por mais investimentos e melhorias no SUS, que é um bem de todos os brasileiros”, destaca.

O ato pretende chamar atenção também para o combate ao Aedes Aegypti e para a necessidade de aprovação em segundo turno da PEC 01 na Câmara dos Deputados. A proposta garantirá mais recursos para a saúde pública no Brasil. “Vale lembrar que sem democracia não teremos SUS, e sem SUS não teremos democracia”, avalia Ronald.

Veja também