Conheça os finalistas da categoria médico-hospitalar do Prêmio Inova Saúde 2016

Um celeiro de inovações voltadas, principalmente, à proteção dos pacientes, que vêm, cada vez mais, se beneficiando com diagnósticos precoces e tratamentos adequados em tempo hábil. Esse pode ser considerado o resumo para os cases apresentados na noite de ontem (14), na sétima edição do Prêmio Inova Saúde, iniciativa que visa reconhecer e incentivar as ações de inovação aplicadas a produtos e serviços, que contribuem para elevar o patamar tecnológico em benefício da saúde humana.

“O próprio prêmio demonstra o esforço que a ABIMO vem fazendo para incentivar a inovação. Não só pela quantidade de projetos inscritos a cada ano, mas pela sua qualidade”, ressalta o presidente da ABIMO, Franco Pallamolla. Nós, que gostamos de inovação e que somos apaixonados pelo tema, percebemos claramente que a cultura da inovação está a cada dia se fortalecendo e se petrificando dentro das empresas do nosso setor na medida em que os cases se apresentam cada vez mais robustos sob o ponto de vista de tecnologia, e essa é a grande missão que nós temos”, destaca.

Para a sétima edição do Prêmio Inova Saúde deste ano foram inscritos 51 cases para a categoria Médico-Hospitalar. “Temos nos surpreendido com produtos robustos, com grande nível de acurácia e como resultado final. Em uma época de instabilidade econômica e crise, fico muito feliz em ver empresas acreditando na ideia e investindo em inovações, que é muito importante para a saúde”, comenta o idealizador do Prêmio, Luiz Calistro Balestrassi. Entre os finalistas que concorreram com a empresa vencedora, Lifemed, está a Apramed, fabricante de equipamentos de apoio e diagnóstico para a área médica. O case apresentado pela empresa, o Auto Refrator Portátil, é o primeiro equipamento nacional para realização de medidas de refração portátil, indicado para utilização em escolas públicas com o intuito de verificar os defeitos de refração em estudantes.

Já vencedora do Inova Saúde, em 2012, a empresa de produtos para cirurgias cardiovasculares, Braile Biomédica, concorreu com a Bomba Centrífuga Safira, um dispositivo descartável para uso em cirurgias que substitui temporariamente a função do coração, bombeando o sangue pelo circuito durante o procedimento.

A Corcam, que desenvolve soluções tecnológicas para monitorar a saúde humana, inovou com o Nexcor, um sistema idealizado para levar a tecnologia existente nos hospitais e clínicas de saúde até o lugar do usuário, aproximando o paciente cardíaco do seu médico.

Já a companhia Medecell entrou na disputa com o sistema de tratamento por neuroestimulação elétrica transcutânea, o Tanyx. O produto consiste em uma nova forma de tratar a dor por meio da tecnologia TENS (Transcutaneous Electrical Nerve Stimulation ou neuroestimulação elétrica transcutânea).

Parabéns a todos os finalistas!

Veja também