Compliance

ABIMO lança novo Código de Conduta e Ética para a indústria

Durante o lançamento do novo Manual de Ética da ABIMO, ministro da Saúde reforçou a importância de um setor mais transparente e rígido no combate à corrupção

No último dia 4 de maio foi lançado pela ABIMO o novo Código de Conduta e Ética dos Associados ABIMO . O lançamento ocorreu durante uma reunião do setor na Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) e contou com a presença do ministro da Saúde, Arthur Chioro, o presidente da Fiesp, Paulo Skaf e mais de 200 empresários do setor de saúde brasileiro, entre eles a presidente da HOSPITALAR, Waleska Santos; os presidentes da ANAHP, Francisco Balestrin; do ComSocial, Raul Cutait; do BioBrasil, Ruy Baumer; entre outros, para discutir investimentos no complexo industrial do setor em 2015.

Chioro destacou a importância que a iniciativa tomada pela ABIMO representa para a transparência entre os membros da cadeia produtiva do setor de saúde e para o combate à corrupção. “Uma iniciativa como essa é de vital importância para a saúde e espero que outras associações de diferentes áreas façam o mesmo”, finalizou.

O ministro ainda reforçou que a aplicação e o cumprimento de códigos de conduta reduziriam a corrupção existente no setor. “Fala-se muito em corrupção, porém esse problema possui duas faces: a do corrupto e a do corruptor. Sendo assim, será fundamental, inclusive para retomarmos esse debate sobre políticas públicas com a sociedade brasileira e termos mais transparência na administração pública e também no mundo dos negócios. Acho que essa é uma grande contribuição trazida pela ABIMO para a saúde e os demais segmentos que atuam nessa mesma cadeia produtiva”, disse após o evento, em entrevista coletiva.

Para o presidente da ABIMO, Franco Pallamolla, esse conjunto de diretrizes não só fará as relações entre os players mais transparentes, como também fortalecerá a indústria de saúde no Brasil. “Acreditamos fortemente que empresas e entidades pautadas por atitudes de excelência serão as responsáveis pela construção de relações mais sólidas e sustentáveis, motivadoras do sucesso da indústria brasileira de produtos para a saúde.”

Durante o encontro, o ministro também falou sobre as perspectivas do setor de saúde para 2015 e destacou a importância de grandes investimentos em inovação, tecnologia e P&D.

“Durante muito tempo, nós demoramos a incorporar a inovação como uma agenda do Ministério da Saúde. Esse equilíbrio, essa capacidade de incorporar definitivamente o papel da Anvisa e do Ministério na inovação, avaliação e incorporação de novas tecnologias é, para nós, algo que remete a pouco menos de quatro ou cinco anos, portanto ainda temos muito que avançar. Porém, temos a vantagem de ter muita clareza sobre esse tema que é considerado um ponto central em nossas agendas e agora será tratado como uma prioridade”, destaca Chioro.

Entre os destaques apresentados pelo ministro, está o Programa para o Desenvolvimento do Complexo Industrial da Saúde. Essa iniciativa já recebeu R$ 700 milhões em investimentos públicos, sendo que 88% desse total já foram aplicados. “Do total investido, 76,4% dos recursos foram destinados para infraestrutura; 16,5%, para P&D; e 7,3%, para qualidade e gestão”, destaca Chioro.

Outro programa apresentado pelo ministro foi a Parceria para o Desenvolvimento Produtivo, que envolve 98 parcerias, sendo 89 delas voltadas para o desenvolvimento de produtos destinados à saúde e 9 para pesquisa e desenvolvimento.

Essa iniciativa, segundo o ministro, está desenvolvendo 93 produtos, 60 deles na área de medicamentos, 6 vacinas, 27 produtos para saúde e equipamentos. Essa iniciativa envolve 19 laboratórios públicos e 50 privados. Desse total, 30 produtos já têm registro na Anvisa e 27 estão no mercado. “Isso tudo gera uma economia de R$ 5,3 bilhões ao setor público de saúde”, finaliza Chioro.

Veja também