Com 21 empresas, pavilhão brasileiro volta à Dubai para nova participação na Arab Health

Evento será realizado entre 24 e 27 de janeiro e reunirá mais de 3.500 fabricantes de dispositivos médicos vindos de 60 países

Entre os dias 24 e 27 de janeiro, um grupo de 21 empresas nacionais ligadas ao Brazilian Health Devices (BHD), projeto de exportação da Associação Brasileira da Indústria de Dispositivos Médicos (ABIMO) em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (ApexBrasil), estará presente em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, para mais uma participação na Arab Health, segundo maior encontro do setor no mundo.

A feira – que segue todos os protocolos de segurança para conter a disseminação do novo coronavírus exigindo teste de RT-PCR com resultado negativo feito, no máximo, 72 horas antes da viagem e utilização de máscaras faciais – é considerada uma excelente porta de acesso aos mercados de saúde da Ásia e de toda a região do Oriente Médio. Neste ano, receberá mais de 3.500 empresas expositoras vindas de 60 países. “A Arab Health é uma excelente plataforma de relacionamento das marcas com seus principais clientes ao redor do globo. É um evento estratégico para a internacionalização das empresas”, diz Larissa Gomes, gerente de projetos e marketing internacional da ABIMO.

Presente na Arab Health desde 2015, a brasileira Atrasorb conquistou um excelente resultado com a participação de 2021 e segue novamente para Dubai a fim de ampliar as suas relações internacionais. “Com a edição do ano passado superamos nossas expectativas. Como nosso produto é utilizado para a intubação de pacientes, tivemos aumento de vendas durante a pandemia”, comenta Thales Mendonça, diretor da companhia que exporta absorvedores de CO2, produtos utilizados em procedimentos que requerem anestesia inalatória.

Tendo participado pela primeira vez da feira em 2021, a 2i estará novamente em Dubai com uma meta muito bem desenhada: “queremos trazer, da Arab Health, pelo menos US$ 50 mil em pedidos, além de novos contatos”, relata Cícero Oliveira, membro do conselho da empresa que levará ao pavilhão indicadores biológicos e químicos para processos de esterilização.

Os números mostram uma melhora expressiva das vendas brasileiras do setor de saúde ao Oriente Médio em 2021. Somente entre janeiro e outubro do ano passado, o Brasil exportou US$ 10,2 milhões em dispositivos médicos aos países da região, valor 10% superior ao obtido no mesmo período de 2020. Entre as empresas apoiadas pelo Brazilian Health Devices, o resultado positivo foi ainda mais significativo, já que houve crescimento de 56,2% nas exportações.

Na percepção de Mendonça, da Atrasorb, uma das grandes vantagens competitivas da companhia está na oferta de produtos com qualidade igual ou até mesmo superior às concorrentes internacionais, porém com preço mais competitivo. Larissa, da ABIMO, também comenta sobre essa característica da produção brasileira: “precisamos enaltecer o excelente custo-benefício do produto nacional, principalmente para exportações na região da feira, mercados com carência de produção local e alto poder aquisitivo”, declara.

Interessante destacar que o maior volume de exportações nacionais de dispositivos médicos para o Oriente Médio destina-se a três países: Turquia, Israel e Emirados Árabes Unidos. Somente para os Emirados Árabes Unidos, que sediam a Arab Health, as exportações brasileiras nos 10 primeiros meses de 2021 somaram US$ 1,69 milhão, crescimento de 1,3% no comparativo com o mesmo período do ano anterior. Desse montante, as marcas que integram o BHD foram responsáveis por 39,5% das comercializações. “O Oriente Médio sempre foi um mercado muito bom para os produtos brasileiros, pois existem países que se identificam co o Brasil e gostam de utilizar nossos consumíveis”, frisa Oliveira, da 2i.

De forma geral, entre produtos médico-hospitalares mais exportados pelas companhias brasileiras estão instrumentos cirúrgicos, aparelhos de oxigenoterapia, aparelhos de eletrodiagnóstico, incubadoras para bebês e pensos adesivos impermeáveis.

Sobre a ABIMO

A Associação Brasileira da Indústria de Dispositivos Médicos (ABIMO) representa a indústria brasileira de produtos para a saúde que promove o crescimento sustentável no mercado nacional e internacional.

Fundada em 1962, a instituição conta com mais de 300 associados e surgiu a partir da ideia de 25 fabricantes de produtos médicos e odontológicos com o objetivo de fortalecer, organizar e regulamentar o segmento. Nesses anos de trabalho, a ABIMO expandiu suas operações de suporte à cadeia produtiva através de conselhos e grupos de trabalho, os quais respondem por todos os aspectos técnicos, operacionais e associativos do setor.

Sobre o BRAZILIAN HEALTH DEVICES

O projeto setorial Brazilian Health Devices, executado pela ABIMO em parceria com a ApexBrasil, tem como missão fomentar as exportações das indústrias de artigos e equipamentos da área da saúde. Brazilian Health Devices é a marca que reúne as indústrias exportadoras do setor e as representa internacionalmente.

Sobre a APEXBRASIL

A ApexBrasil (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos) tem a missão de desenvolver a competitividade das empresas brasileiras, promovendo a internacionalização dos seus negócios e a atração de investimentos estrangeiros diretos. A agência também coordena os esforços de atração de IED (investimentos estrangeiros diretos) para o país.

Serviço:
Arab Health – Data: 24 a 27 de janeiro de 2022
Local: Dubai World Trade Centre – Dubai, Emirados Árabes Unidos
Mais informações AQUI

Veja também