CNI lança Agenda Internacional com propostas para ampliar exportações

Peça fundamental para alavancar a produtividade e a inovação em tempos de normalidade, o lançamento da Agenda Internacional da Indústria 2016 da Confederação Nacional da Indústria (CNI) ganhou ainda mais relevância em tempos de retração no mercado interno e desvalorização cambial. O documento reúne 15 temas prioritários divididos em duas frentes: ações de influência de política comercial e serviços de apoio da CNI para internacionalização das empresas.

A Agenda Internacional da Indústria, lançada no último encontro da Coalização Empresarial Brasileira (CEB) em Brasília, foi entregue ao Ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), Marcos Pereira e ao Secretário-Geral do Ministério das Relações Exteriores (MRE), Marcos Galvão.

Durante o evento, o MDIC sinalizou positivamente à liberalização de serviços, ponto de interesse prioritário da indústria. “Conversei com o presidente Temer, que nos autorizou a trabalhar para a participação do Brasil nas negociações do TiSA (Trade in Services Agreement)”, afirmou o ministro sobre o apoio às negociações plurilaterais para a liberalização comercial de serviços.

Oportunidades

As mudanças recentes de direcionamento da política internacional brasileira, abriram caminho para as negociações de acordos comerciais na agenda do país e da indústria.

Neste contexto de oportunidades, a CNI tem buscado: incorporar os acordos bilaterais de comércio como elemento central da política comercial brasileira; relançar a agenda comercial e econômica da indústria no Mercosul; e apoiar a atualização da agenda do multilateralismo comercial.

Ampliação do escopo e profundidade do acordo entre o Brasil e o México, com objetivo de atingir o livre comércio; conclusão de um acordo ambicioso entre o Mercosul e a União Europeia, em termos de comércio, serviços e investimento; atualização da agenda comercial e econômica da indústria brasileira para o Mercosul, com o aprofundamento dos acordos e o aprimoramento da governança técnica e administrativa do bloco; maior engajamento em negociações internacionais de serviços e atualização da proposta da CNI para a agenda pós-doha da OMC, são algumas das ações prioritárias de negociações comerciais.

De acordo com a CNI, estas ações têm avançado e cada vez mais ganhado relevância na medida em que mais setores empresariais se organizam, se posicionam e sensibilizam as autoridades governamentais para as demandas prioritárias da indústria.

Para participar dos fóruns de debate da CNI e colaborar com a Agenda Internacional 2016, entre em contato pelo e-mail ceb@cni.org.br .

Clique aqui para acessar a agenda completa

Veja também