BHD participou da sétima edição do Brasil Tecnológico no Peru

BHD marcou presença na sétima edição do Brasil Tecnológico no PeruA Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), em parceria com a embaixada do Brasil no Peru, realizou, entre os dias 12 e 13 de julho, a sétima edição do evento Brasil Tecnológico. A ação é uma das principais iniciativas da Apex-Brasil para promoção de negócios na América Latina e focou nas exportações, internacionalização e atração de investimentos de empresas brasileiras no Peru. A comitiva levada pela Agência contou com empresas de tecnologia da informação, defesa, maquinário, eletrônicos, equipamentos médicos e hospitalares e plásticos para participar de seminários técnicos e rodadas de negócios em Lima. Na ocasião, o Brazilian Health Devices (BHD), projeto executado pela ABIMO em parceria com a Apex-Brasil, esteve presente e apresentou um panorama da indústria brasileira na área da saúde para os distribuidores e hospitais locais.

Durante o evento, Laísa França, coordenadora de promoção comercial da ABIMO, fez uma apresentação com base nos dados do setor médico-hospitalar e com foco no potencial inovador que as empresas brasileiras têm na área da saúde, assim como destacou a importância da Anvisa como órgão regulatório. “Tivemos a oportunidade de apontar para o mercado peruano alguns cases de inovação que concorreram ao prêmio Inova Saúde, mostramos as empresas vencedoras e seus respectivos produtos inovadores”, disse a coordenadora, que ainda acrescentou:   “O Peru é o nosso 11º país de destino para exportações, porém muitas empresas importam de países como China e Turquia, por isso procuramos entender melhor a demanda peruana por meio de reuniões de negócios com empresas interessadas no mercado brasileiro”.

A Diagnext, Freedom e Magnamed, empresas associadas à ABIMO e que participam do BHD, fizeram reuniões com potenciais compradores. De acordo com a Apex-Brasil, o continente latinoamericano oferece muitas oportunidades a serem exploradas pelo Brasil. Em 2015, 70% dos bens exportados para os países vizinhos era constituído por produtos de alto valor agregado. Como a Agência se concentra nas exportações de mercadorias manufaturadas, o número destaca a importância da região para o comércio exterior brasileiro. Pouco mais de 16% dos produtos nacionais exportados no mesmo ano tiveram a América Latina como mercado principal, o que indica uma ampla margem de possibilidades comerciais a serem estabelecidas. O Peru apresenta previsão de crescimento do PIB de 3,74% para 2016.

Veja também