Aumento da demanda doméstica transforma indústria brasileira de dispositivos de saúde

A expansão da classe média no Brasil na última década provocou um aumento da demanda doméstica por dispositivos de saúde, gerando mais investimentos em inovação e aumento da qualidade pela indústria. Nos últimos seis anos, o consumo aparente do setor acumulou crescimento real de 11,5%. Só no ano passado, o aumento real no consumo aparente foi de 4%, apesar da desaceleração da economia do país.

“Estamos vivendo um período de profunda transformação, pois o crescimento da demanda e as mudanças no perfil de consumo dos dispositivos médicos, odontológicos e de laboratório estão levando a um amadurecimento do setor. Estamos produzindo mais, com mais qualidade e custos menores”, explica Paulo Henrique Fraccaro, superintendente da ABIMO (Associação Brasileira da Indústria de Artigos e Equipamentos Médicos, Odontológicos, Hospitalares e Laboratoriais).

Outro fator que contribuiu para o desenvolvimento da indústria local de health devices é a modernização da infraestrutura dos hospitais nos últimos anos, que tem aumentado o turismo médico ao Brasil.

Além disso, o reconhecimento internacional da qualidade da cirurgia plástica e medicina cosmética no país também está impulsionando a indústria nacional de health devices. O Brasil está entre os 10 países com maior número de cirurgiões plásticos e especialistas em cosmética médica certificados do mundo. Procedimentos como aumento de mamas, por exemplo, são feitos com custo menor do que em lugares como EUA e Reino Unido.

O país também se destaca como um dos destinos mundiais para tratamento nas áreas de oncologia, cardiologia, ortopedia e neurologia.

Excelente custo-benefício

A transformação da indústria se reflete na imagem dos produtos brasileiros no exterior. Pesquisa feita pela ABIMO entre clientes e formadores de opinião no setor em mercados-alvo – como Angola, Chile, Espanha, Estados Unidos, Índia, México, Turquia – indicou que os produtos brasileiros já são percebidos como detentores de excelente relação custo-benefício, com soluções criativas e inovadoras.

Segundo a pesquisa, os produtos e equipamentos odontológicos brasileiros estão entre os melhores do mundo. Na Rússia, por exemplo, o Brasil é líder de mercado em número de equipamentos odontológicos vendidos.

Fazem parte da pauta de exportação do Brasil para os Estados Unidos, Europa e Oriente Médio produtos sofisticados como incubadoras neonatais, que encontram mercado por serem de qualidade e terem preços competitivos. Na América Latina, destaque para as vendas de aquecedores infantis e equipamentos de fototerapia brasileiros.

De forma geral, o equipamento eletro-cirúrgico brasileiro é considerado um produto médico confiável nos mercados para onde é exportado, assim como equipamentos oftalmológicos e de cirurgia refrativa.

 

Veja também