ABIMO participa do workshop Brasil Mais Produtivo – Saúde

São Paulo, 13 de abril de 2017- Nessa quarta-feira (12), o diretor institucional, Márcio Bósio, representou a ABIMO no workshop Brasil Mais Produtivo – Saúde. O evento foi realizado pelo Departamento Nacional do SENAI (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial) por meio das ações do Programa Brasil Mais Produtivo, em parceria com o MDIC (Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior), o Ministério da Saúde e a ABIMO. O objetivo do encontro foi identificar as principais demandas e oportunidades do setor de dispositivos médicos hospitalares a fim de que se possa desenvolver, de forma assertiva, a aplicação de ferramentas para aumento da produtividade e eficiência dos processos das empresas.

O Brasil Mais Produtivo é um programa do governo federal, coordenado pelo MDIC, cujo objetivo é aumentar em pelo menos 20% a produtividade no setor, através da aplicação das ferramentas lean para as pequenas e médias companhias participantes. Além dos quatro setores, já são atendidos inicialmente as áreas de alimentos e bebidas; metalomecânico; moveleiro; vestuário e calçados. No final do ano passado, o programa agregou também o setor de dispositivos médicos e odontológicos. O lançamento oficial será no dia 19 de abril, em Brasília.

O workshop contou com a presença de representantes do MDIC e do Ministério da Saúde, Bruno de Carvalho Duarte e Marco Nascimento; do Senai, Mateus Simões de Freitas; e de vários empresários do setor da saúde.

“Nosso intuito neste encontro é captar as necessidades que o setor possui diretamente ligadas ao chão de fábrica, que é onde temos condições de contribuir no dia a dia e customizar uma solução específica para as necessidades, considerando vários aspectos, mas com foco na produtividade”, enfatiza Mateus.

O Senai realizará consultoria utilizando metodologia de manufatura enxuta (lean manufacturing), que é baseada na redução dos desperdícios mais comuns no processo produtivo – superprodução, tempo de espera, transporte, excesso de processamento, inventário, movimento e defeitos. As ferramentas e metodologias melhorarão a produtividade do chão de fábrica. São mudanças e sugestões que não envolvem grandes reformas, e sim organização interna.

“Uma das vantagens do programa é a externalidade e os seus efeitos multiplicadores dependendo do perfil do setor. Setores competitivos e de ponta tendem a ter efeito multiplicador um pouco maior, seja por benchmarking, percepção de mercado, circulação de pessoas entre as empresas, o que se torna um aprendizado não só entre aquelas empresas que sofrem intervenção no sentido de políticas públicas, mas para todas de modo geral”, explica Bruno.

Para a ABIMO, o Brasil Mais Produtivo é visto como oportunidade única para impulsionar ainda mais o desenvolvimento do segmento de dispositivos médicos e odontológicos. “Nosso setor já é um dos campeões em investimento e em inovação, assim como é um dos campões em produtividade da indústria de transformação, mas a gente sempre acha que é possível melhorar”, ressalta Márcio Bósio.

“As questões regulatórias impactam enormemente o desempenho do setor. Imaginamos criar processos de trabalho robustos e confiáveis a ponto de podermos influenciar na questão regulatória, além de fazer com que nosso processo de trabalho seja tão seguro e eficiente que permita à autoridade regulatória estabelecer regras baseadas em processos. Com isso, ganharemos em qualidade, produtividade e em segurança, que são palavras-chave do nosso setor”, complementa.

 

Para o setor da saúde, há estimativas de gastos por atendimento de R$ 25.600 por empresa, sendo R$ 21.400 subsidiados pelo programa e R$ 4.200 em contrapartida da companhia, por 160 horas de trabalho.

Resultados

Até o momento, foram atendidas empresas dos setores de alimentos e bebidas; metalomecânico; moveleiro; de vestuário e calçados. Foi identificado aumento médio em qualidade da produção de 48,2%, reflexo da redução do retrabalho dentro da empresa.

“Desde que o programa foi lançado, percebemos que houve aderência enorme com a condução política do ministério e que é fundamental fortalecer a indústria nacional para diminuir as vulnerabilidades do SUS. Além disso, o programa é importante pela capacidade de fortalecimento da indústria dentro da firma e por integrar e conhecer melhor o setor”, pontua Marco Nascimento.

A expansão do Brasil Mais Produtivo visa utilizar instrumentos de manufatura avançada, tais como técnicas de sensoriamento e digitalização para aumentar a produtividade das companhias, proporcionando um salto qualitativo para as empresas atendidas.

Para mais informações sobre como participar do programa, acesse: http://www.brasilmaisprodutivo.gov.br/

Preencha o formulário de inscrição, aceite os termos e condições, e aguarde o contato do Senai.

Veja também