ABIMO leva indústria nacional à principal feira médica da Malásia

São Paulo, 29 de junho de 2017 – Com olhar estratégico para alguns países asiáticos, a ABIMO fomenta a montagem de um stand brasileiro na APHM – International Healthcare Conference and Exhibition, maior feira do segmento na Malásia. Marcado para acontecer entre 25 e 27 de julho na capital Kuala Lumpur, o evento receberá cinco empresas brasileiras.

O stand brasileiro foi montado a convite da embaixada do Brasil na Malásia. Organizada pelos hospitais e clínicas particulares do país, a APHM representa uma excelente oportunidade para que a indústria nacional se apresente a um mercado que promete gerar bons negócios. Participando pela primeira vez do evento, a Lupetec segue para a Malásia com um objetivo bem definido. “Buscamos conhecer novos potenciais distribuidores para a região e concretizar, no mínimo, uma parceria com algum deles”, declara Caio Cesar Martins, diretor administrativo da marca que apresentará um portfólio de micrótomos, processadores de tecido e centrais de inclusão ao mercado malaio.

Juntamente à Lupetec, a Phoenix também compõe o stand brasileiro que estreia na APHM. Com autoclaves horizontais para esterilização médico-hospitalar, a empresa de Araraquara, interior de São Paulo, chega à Malásia com um intuito mais explorativo. “Visamos identificar novos distribuidores na região e conhecer o mercado e os concorrentes que vamos enfrentar por lá”, declara Keila Vitola Druzian, do departamento de exportação da empresa que já se relaciona com um distribuidor indonésio, contato iniciado em uma rodada de negócios da ABIMO.

Enquanto Lupetec e Phoenix iniciam seus negócios na Malásia, a Fanem chega a este mercado com uma experiência um pouco mais avançada. Como fabricantes, esta é a primeira vez que a marca participa da APHM, porém já esteve presente no evento por meio de distribuidores. “Nossa participação tem como objetivo reforçar a marca Fanem no país. Já marcamos presença em mais de 100 países e a Malásia é um mercado onde já atuamos no passado e, agora, temos boas expectativas de retomar essa atuação”, comenta José Flosi, gerente de exportação que promete focar o portfólio de produtos para neonatologia, como incubadoras e equipamentos de fototerapia para tratamento de icterícia.

Analisando números e dados estratégicos, a Malásia é um bom receptor da produção brasileira. Em 2016, 11 empresas participantes do BHD exportaram para lá. Ao todo, 18 produtos da nossa indústria chegaram ao setor de saúde malaio, com destaque para o subsetor de odontologia que exportou aparelhos para odontologia, dentes artificiais, cadeiras de dentistas, aparelhos de raio x, aparelhos dentários de brocar, artigos e aparelhos para prótese dentária e produtos e cimento para obturação dentária. Além da indústria odontológica, outros mercados também vêm se mostrando receptivos ao receber aparelhos para reanimação, artigos e aparelhos de prótese, endoscópios, sondas, aparelhos de oxigenoterapia e aparelhos de eletrodiagnóstico.

“O total de exportações em 2016 foi de US$ 79,3 milhões. Ainda é um mercado novo, agora que o sudeste asiático está entrando como mercado-alvo do projeto BHD”, comenta Larissa Gomes, trade promotion da ABIMO.

Além das três empresas citadas, a Hpbio e a Ibramed farão parte do stand brasileiro, um estande coletivo que também terá, graças à embaixada brasileira local, uma agenda customizada para cada empresa participante.

 

 

Veja também