Abertura do 39º CIOSP recebe prefeito Ricardo Nunes e lideranças estratégicas da odontologia nacional

Paulo Henrique Fraccaro, superintendente da ABIMO, representou a indústria

A solenidade de abertura do 39º CIOSP – Congresso Internacional de Odontologia de São Paulo, que teve início em 29 de junho, contou com a presença do prefeito Ricardo Nunes, além de Paulo Henrique Fraccaro, superintendente da ABIMO; Wilson Chediek, presidente da Associação Paulista de Cirurgiões-Dentistas (APCD), políticos e outras lideranças do segmento.

Em seu discurso de inauguração da edição de 2022, Chediek – que também preside o evento – agradeceu a compreensão de todos que aguardaram, ansiosos, pelo retorno do congresso após os picos da pandemia de covid-19. “A vida retoma seu curso após um período de grandes desafios. Estamos juntos, hoje, neste que é um dos maiores congressos de odontologia do mundo”, declarou. Em janeiro, a poucos dias do início do congresso, a organização optou por postergar o encontro para o mês de junho devido à ampliação do número de casos em decorrência da propagação da variante Omicron.

Após mencionar que sua família tem amplo apreço pelo setor, já que sua filha é cirurgiã-dentista, Nunes, prefeito de São Paulo, enfatizou a força da odontologia na cidade. “Devemos nos orgulhar do setor, pois temos muitos motivos para tal. Somente na nossa cidade são 14 faculdades de odontologia e cerca de 5.230 profissionais de saúde bucal. Outro ponto relevante é que das 470 Unidades Básicas de Saúde (UBS), 435 oferecem atendimento odontológico”, disse.

A cerimônia também recebeu Jean Gorinchteyn, secretário estadual da saúde, que trouxe um importante ponto em seu discurso. “Nunca deixaremos que a boca seja esquecida no cuidado com o corpo humano. Nosso trabalho é prestar um atendimento humanizado, levando assistência e acolhimento. Nosso dever é conseguir que todos tenham a mesma oportunidade”, pontuou. A fala do executivo está totalmente alinhada, inclusive, com o propósito da campanha Sorrir Muda Tudo, que acabou de entrar em sua terceira fase (clique AQUI para saber mais).

Em complemento ao discurso de Gorinchteyn, o secretário municipal da saúde, Luiz Carlos Zamarco, comentou que a odontologia vem crescendo na assistência pública à saúde. Segundo ele, em 2019 foram entregues 29,7 mil próteses. Com o empenho das equipes esse número vem crescendo: em 2021 foram 31 mil próteses e, entre janeiro e junho deste ano, já foram entregues 27,5 mil próteses aos cidadãos paulistanos. Outro ponto por ele destacado é que três anos atrás, 77 mil pessoas aguardavam na fila. Hoje esse número já foi reduzido para 49 mil.

Representando a indústria, Fraccaro aproveitou a oportunidade para enfatizar a relevância da produção nacional. “O Brasil tem uma participação muito importante na odontologia global. Somos, inclusive, o segundo país em número de produção de implantes. Perdemos apenas para os Estados Unidos”, pontuou.

Outras lideranças também participaram da abertura. Raphael Câmara Parente, secretário de Atenção Primária à Saúde que representou o ministro Marcelo Queiroga; Marcelo Messias (MDB), primeiro vereador cirurgião-dentista da Câmara Municipal de São Paulo; Silvio Cecchetto, presidente da Associação Brasileira de Cirurgiões-Dentistas (ABCD); Juliano do Vale, presidente do Conselho Federal de Odontologia (CFO); Braz Antunes Neto, presidente do Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CROSP); Fabiano Augusto Sfier de Mello, diretor da Federação Nacional dos Odontologistas (FNO); e Marcelo Barbieri, presidente da Associação Paulista de Municípios (APM).

Veja também