Nigéria inicia agenda para facilitação de negócios com o Brasil

Em busca de soluções para a Saúde da Mulher, delegação nigeriana participa de reuniões durante a feira

“Este foi só o começo do relacionamento”, disse o representante do Ministério da Saúde da Nigéria, Emmanuel O. Abattta, depois de mais de três horas de reunião no segundo dia de encontros da “Doing Business with Brazil”, iniciativa organizada pela Apex-Brasil (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos) em parceria com a ABIMO. Os encontros da delegação de líderes de saúde da Nigéria no Brasil acontecem durante a feira Hospitalar 2018.

“Queremos um acordo com reuniões mais frequentes no Brasil. Desejamos estabelecer um programa mais funcional e realista em termos de construir um relacionamento entre os países, com troca de ideias e tecnologias”, disse o representante nigeriano, afirmando que ficou impressionado com a Hospitalar. “Essa é minha primeira experiência nesse tipo de feira no Brasil. É uma boa solução juntar as pessoas para que tenham ideia dos tipos de oportunidades presentes no sistema de saúde brasileiro”, afirmou.

Coordenadora de Promoção Comercial da ABIMO, Karina Yamamoto, participou da reunião, a qual classificou como “muito positiva”. “Há algumas lacunas no mercado nigeriano e nós acreditamos que o mercado brasileiro consegue suprir toda essa demanda que eles precisam, especialmente na saúde da mulher”, disse ela, afirmando que as conversas bilaterais Brasil-Nigéria durante e a Hospitalar estarão focadas nesse tema. “Na quinta-feira, teremos uma rodada de negócios com fabricantes brasileiros”, explica.

Karina conta que o Ministério da Saúde da Nigéria procurou a ABIMO durante a Medic West Africa de 2016, quando mostrou interesse em projetos focados na saúde da mulher. “Começamos a desenhar como vai ser esse projeto e o próximo passo é levar os nossos médicos com a nossa expertise para a Nigéria e difundir o conhecimento deles dentro do projeto setorial Brazilian Health Devices”, afirma Karina, informando que deverão integrar a ação também as empresas brasileiras de equipamentos e produtos voltados ao tratamento de câncer de colo de útero, segunda principal causa de morte da mulher nigeriana.

“O Governo da Nigéria não consegue enxergar como reduzir os números de casos de câncer e qualquer oportunidade para isso é bem-vinda. O Brasil está mais avançado que nós em termos de saúde e esperamos que com essa agenda possamos obter benefícios para a saúde da Nigéria”, completou Abatta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também