SENAI do Rio Grande do Sul vai desenvolver luvas cirúrgicas


Projeto foi aprovado no Edital de Inovação para a Indústria 2020 – Missão contra o Covid-19. Instituto SENAI de Inovação em Engenharia de Polímeros vai trabalhar em parceria com empresa Nitriflex

O Instituto SENAI de Inovação em Engenharia de Polímeros, em São Leopoldo (RS), juntamente com a Nitriflex S/A Indústria e Comércio, teve projeto aprovado para desenvolvimento de formulações e fichas técnicas para fabricação de luvas em látex natural e/ou sintético para produção de luvas cirúrgicas e de procedimentos não cirúrgicos no Edital de Inovação para a Indústria contra o Coronavírus.

O projeto atende a demanda da Associação Brasileira da Indústria de Artigos e Equipamentos Médicos e Odontológicos (Abimo) e da área hospitalar, que necessita urgentemente destes produtos devido à pandemia do Covid-19, bem como pela carência de fornecimento pelo mercado nacional, já que grandes volumes destes produtos são normalmente importados da China e não estão conseguindo atender devido ao aumento da procura em nível mundial.

Com o látex sintético cedido pela Nitriflex e o látex natural que será fornecido por empresas produtoras nacionais que aderirem ao projeto, o Instituto fará as fichas técnicas de especificação e produção das luvas. O processo inclui desde o levantamento das matérias-primas, formulação com látex natural e/ou sintético , requisitos técnicos das normas Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e resoluções da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

O desenvolvimento do projeto tem duração de três meses, mas à medida que as soluções forem acontecendo, os resultados e informações serão disponibilizados para todas as empresas interessadas e que possam fabricá-las. Caberá a cada empresa fabricante testar em laboratórios acreditados no Cgcre/Inmetro os produtos de acordo com requisitos técnicos previstos.

A gerente do ISI Polímeros, Viviane Lovison, explica que a intenção é permitir que o setor industrial nacional possa voltar a produzir em maior volume estes itens de forma competitiva, incentivando assim toda a cadeia produtiva desde o produtor de látex, fabricante de luvas e usuários finais, respeitando as características técnicas e de qualidade necessárias” afirma a gerente do ISI Polímeros.

Fonte: Agência CNI – DF / Brasil

 

Veja a matéria completa