82% dos dentistas do país continuam atuando


Profissionais que atuam em saúde bucal apresentam chance altíssima de contrair a Covid-19 se expostos à doença

▌Associações de classe, empresas e sindicatos da categoria se unem para ajudar os profissionais a

atravessarem este período crítico

S egundo pesquisa realiza- são os mais suscetíveis a con- cos e Odontológicos (ABIMO) da pelo Conselho Federal trair a doença, dentre todos os tem como objetivo reforçar a de Odontologia (CFO), grupos de linha de frente, que importância da saúde da boca com mais de quarenta mil são os profissionais da área da num momento de alto risco de profissionais de todo o País, saúde. contaminação pela Covid-19 82% dos dentistas no Brasil Com o cenário instalado, e orientar profissionais e pasegue trabalhando, em seus para além do novo protoco- cientes quanto às medidas de consultórios, em meio à pan- lo de prevenção e controle segurança necessárias para os demia da Covid-19. Desses, de contágio, que prevê aven- atendimentos. 72% continuam atendendo tais descartáveis para cada Na mesma linha, a S.I.N. com as restrições exigidas atendimento, desinfecção do Implant System, referência (seguindo novo protocolo consultório e uso de protetor mundial na fabricação de imde prevenção e controle de facial, os dentistas se uniram plantes dentais e componentes contágio), 10% afirmam con- em uma corrente para se pro- odontológicos, lançou a camtinuar trabalhando sem qual- tegerem e prestarem auxílio, panha #Apoieseudentista. Por quer tipo de restrição e 18% uns aos outros. Essa corrente meio de website, os dentistas interromperam os trabalhos de solidariedade visa garantir têm acesso a conteúdo educanesse período. a segurança dos profissionais tivo abrangente, que os auxilia O que é um alento à popu- e a sustentabilidade dos con- na gestão do consultório e na lação — que tem conseguido sultórios. área marketing, inclusive, com marcar as consultas odontoCom isso, associações de materiais de conscientização, lógicas –, ao mesmo tempo, classe, conselhos da categoria prontos para serem enviados torna-se uma preocupação e empresas do setor estão aos pacientes. Com isso, a empara os profissionais da Odon- lançando campanhas para au- presa deseja ajudar os dentistas se propaga via gotículas respi- a pandemia. O projeto Todos ainda maiores, e, contribuir ratórias, os dentistas estão no pela Odontologia, da Associa- para melhorar o fluxo de caixa topo da classificação de risco de ção Brasileira da Indústria de dos profissionais, durante a contaminação pela Covid-19 e Artigos e Equipamentos Médi- pandemia.

Em meio a tantas notícias pesadas no dia a dia médico hospitalar de enfrentamento da Covid-19, uma boa nova chega da Região Metropolitana de Curitiba: em 24 horas, a Central de Transplantes do Hospital Angelina Caron (HAC) realizou sete transplantes, sendo três fígados e quatro rins. Até então, o “recorde” da instituição havia sido seis órgãos num mesmo dia, “isso em tempos normais”, conforme relata o médico responsável pela central, João Nicoluzzi. “Foram três fígados e quatro rins em 24 horas, realizado em 15 de julho. Poucos locais do mundo têm capacidade técnica e equipe para realizar tantos transplantes em pouco tempo, ainda mais em tempos de pandemia. Tivemos uma queda na doação de órgãos porque os pacientes ficam em UTIs, e agora as unidades estão sendo disponibilizadas aos pacientes com a Covid19. Felizmente, aconteceu e foi um sucesso”, celebra.