ABIMO, LAIS, Funpec e UFRN assinam Termo de Cooperação Técnico-Científica

Plano de trabalho tem orçamento de 3 milhões de reais para ações de pesquisas e subsídios de suporte para salas de controle da incidência de sífilis congênita

 

No último dia 20 de junho a ABIMO, o LAIS (Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde), a Funpec (Fundação Norte-Rio-Grandense de Pesquisa e Cultura) e a UFRN (Universidade Federal do Rio Grande do Norte) assinaram um Termo de Cooperação Técnico Científica, para ações de identificação e controle de Sífilis congênita, que envolve o levantamento de dados e a criação de metodologias para prevenção, diagnóstico da doença no Brasil.

“O intuito das instituições é fortalecer as ações de pesquisas científicas aplicadas na área do controle e do combate a sífilis no SUS (Sistema Único de Saúde) bem como a qualificação da informação estratégica para o controle dessa doença”, explica o superintendente da ABIMO, Paulo Henrique Fraccaro. “

O plano de trabalho é centrado em dois eixos: O primeiro deles é voltado ao fomento a pesquisas e estudos que possibilitem o desenvolvimento de testes rápidos para o anticorpo identificado em crianças recém-nascidas e diagnosticadas com sífilis congênita. Isso porque, a população exposta à sífilis durante o período da gestação vem sendo tratada com penicilina, pois as redes de atenção não conseguem fechar o diagnóstico em tempo adequado, gerando vários problemas, como super notificação de falsos positivos e tratamento inadequado de recém-nascidos e consequente desperdício de recursos.

O segundo consiste em dar suporte à criação de 100 salas de situação de saúde, um espaço físico e virtual onde a informação sobre sífilis congênita será analisada sistematicamente por uma equipe técnica. Dessa forma, haverá a possibilidade de mensurar de forma preditiva quais recursos e infraestrutura são necessários. A partir dos dados recolhidos, será possível transformá-los em informações para, com a análise de cenários e de simulações, construir fortes bases com evidências para gestão do conhecimento da vigilância em saúde.

O plano de trabalho tem orçamento de 3 milhões de reais, que serão investidos durante a vigência do termo, que é de 24 meses. “Esperamos com essa parceria desenvolver outros projetos que poderão repercutir na produção de inovação tecnológica, com o desenvolvimento de propriedades industriais, tais como patentes e registro de softwares”, finaliza o superintendente da ABIMO.

O LAIS confirmou ainda sua presença no Painel Médico-Hospitalar do CIMES, o Congresso de Inovação em Materiais e Equipamentos para Saúde, promovido pela ABIMO.

Veja também