ABIMO e Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde, de Natal, firmam parceria

Natal, 24 de agosto de 2017 – Visando o progresso de inovações na área da saúde, na última segunda-feira (21), Franco Pallamolla e Paulo Henrique Fraccaro, respectivamente o presidente e o superintendente da ABIMO, firmaram uma parceria com o LAIS (Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde), primeiro laboratório instalado em hospital universitário brasileiro com a proposta de promover a inovação tecnológica em saúde.

A parceria consiste na intermediação da ABIMO na localização e identificação de possíveis fornecedores que poderão levar para o mercado os produtos desenvolvidos pelo laboratório. “Inicialmente, convidamos o LAIS para participar conosco da feira de reabilitação Rehacare expondo seus produtos, em outubro, na Alemanha”, contou o superintendente.

“Já estamos adaptando o estatuto do instituto para que uma entidade como o LAIS tenha efetividade. Vamos ainda criar um grupo estratégico a fim de fortalecer essa parceria para que o mercado veja o potencial do laboratório e quão benéficas podem ser para o nosso setor as inovações produzidas pelos alunos”, completou.

Pallamolla e Fraccaro visitaram o laboratório e conheceram os produtos inovadores que estão em desenvolvimento com foco no atendimento a pacientes do SUS (Sistema Único de Saúde). “A visita foi muito positiva” ressaltou Fraccaro. “Pudemos ver aparelhos de tecnologia assistiva, aparelhagem de fonoaudiologia, softwares para administração de pacientes em hospitais e o desenvolvimento de articuladores para enfermos com problemas de mobilidade”.

O LAIS, criado em março de 2011, está situado no HUOL (Hospital Universitário Onofre Lopes) e tem quase 400 funcionários dedicados ao estudo e a projetos de educação permanente, gestão e tecnologia assistiva.

Impactos na inovação

A visita dos executivos da ABIMO fez parte da agenda da 1ª Conferência Internacional de Inovação Tecnológica em Saúde, organizada pelo LAIS e que promoveu três dias de discussões sobre os impactos da inovação em saúde no Brasil.

Durante a conferência, gestores, profissionais e estudantes das áreas de tecnologia e saúde tiveram a oportunidade de debater sobre temas importantes para o desenvolvimento da área médico-hospitalar no Brasil e no mundo.

Na abertura do evento alguns palestrantes enfatizaram dificuldades para aproximar universidades e indústrias principalmente por entraves burocráticos. Franco Pallamolla citou em seu discurso que os problemas nos marcos legais são gerados pela carência de diferenciação entre política de governo e política de estado, sendo esta última necessária para fortalecer a inovação e os investimentos em ciência e tecnologia. “As instituições de ensino têm os papers, mas não conseguiram convertê-los em nota fiscal”, avaliou.

Confira a galeria de fotos:

 

 

Veja também